Expanded ID/ID Expandida, individual de Anaísa Franco

“Nada está no intelecto sem antes ter passado pelos sentidos.” A afirmação é do filósofo grego Aristóteles, autor da teoria de que o ser humano percebe o mundo através de cinco sentidos: visão, tato, olfato, paladar e audição. A obra de Anaísa Franco faz valer a tese. A artista combina arte e tecnologia para dar vida a esculturas e instalações sensoriais, nas quais o pensar é ativado pelos sentidos. Um conjunto destas criações será exibido em Expanded ID/ purchase cialis ID Expandida, http://motivante.dominiotemporario.com/?wemolaqa  mostra individual que ela apresenta a partir de 18 de junho, na Galeria Lume.

Anaísa Franco (1981) nasceu em Uberlândia, Minas Gerais, e vive e trabalha em São Paulo. É Mestre em Arte Digital e Tecnologia pela Universidade de Plymouth, na Inglaterra, e se formou em Artes Visuais na Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP) em São Paulo.

Filha de mãe psicanalista, Anaísa age com o mesmo rigor e a curiosidade que movem um cientista. E é assim que investiga e questiona a possibilidade de inserir comportamentos, sentimentos e emoções em máquinas esculturais. Ela sente o mundo de diferentes formas e quer que o público sinta o mesmo buy cialis.

A artista usa artifícios como a eletricidade para gerar vida às peças que outrora eram inertes. É o que ela faz em Expanded ID cialis pills  (2018), uma instalação de arte pública interativa que capta a impressão digital do visitante e a transforma em uma animação generativa. A partir da interação do espectador, tal qual mãos percorrendo um piano, a obra pulsa em blocos 3D coloridos com formas únicas que mudam de acordo com as impressões digitais de quem participa. O trabalho foi desenvolvido durante a residência Homeostase, canadian pharmacy online  na FABLAB Garagem, em São Paulo, e no Exhbitedhttp://elitecleaningboston.com/hufefybu City Life Festival, em Xangai, na China.

Confusion (2014), trabalho formado por uma cabeça com duas faces, foi denominado por ela como uma escultura emocional. Feita durante uma temporada da artista no Museu de Arte Contemporâneo da Gas Natural Fenosa, em La Coruña, na Espanha, a obra teve um processo de criação bastante complexo. Franco teve de usar sua própria cabeça como molde e transformou uma bola de plasma em um sensor que ativa diálogos confusos a partir do toque do visitante.

A comunicação entre humano e máquina volta a surgir em http://limondental.com/?fusibymod On Shame (2014), instalação feita em colaboração com o músico e programador Scott Simon. O trabalho é composto por um dome transparente que captura o rosto do espectador através de uma câmera. A imagem é distorcida, muda de cores e emite diálogos, vozes inconscientes.

Expanded ID/ID Expandida, individual de Anaísa Franco
Galeria Lume – Rua Gumercindo Saraiva, 54, Jardim Europa
Abertura: 18 de junho, terça-feira, a partir das 19h
Período expositivo: 18 de junho a 3 de agosto
Visitação: de segunda a sexta-feira, das 10h às 19h | sábados, das 11h às 15h

cheap cialis  

Ana Bittar
Jornalista MTB: 0084520/SP
Contatos: anabittar.artist@gmail.com
Instagram: @anabittaroficial

best ed pills  

Attachment