Atualidades Machadianas.

Atualidades Machadianas.

Queridos amigos, se o dia 10 de setembro é o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio – uma velha questão, como dirá, abaixo, Machado de Assis –, a nossa vigilância, solicitude e prevenção devem estar a postos 365 dias no ano (e em mais um, se bissexto!). E por quê? Vejam estes dados estarrecedores divulgados há apenas três anos pela OMS: “O suicídio se tornou uma epidemia de proporções globais, mata mais de 800 mil pessoas por ano e 75% dos casos são registrados em países emergentes e pobres, não nas capitais escandinavas, como a cultura popular insiste. Hoje, a Organização Mundial de Saúde (OMS) publica, pela primeira vez em mais de 50 anos de história, um levantamento global sobre o fenômeno que tira a vida de uma pessoa a cada 40 segundos.” (Jamil Chade, O Estado de São Paulo, No mundo, há 1 suicídio a cada 40 segundos, Metrópole, 04/09/14, p.A21). Daí a advertência e a sugestão, muito bem-vindas, a que chegou Daniel Martins de Barros: “Noticiar suicídios de forma espetaculosa, detalhada, pode, de fato, convencer pessoas em risco, ainda hesitantes, a se matar. Mas abordar o problema de forma séria e indicar meios de prevenção têm o efeito oposto.” (O Estado de São Paulo, Metrópole, 10/09/17, p.A16). Nesse sentido, é imprescindível a leitura de Memórias de um suicida (autora Yvone A. Pereira; editora FEB), para que as famílias que percebam em seu seio um suicida em potencial possam reunir forças ainda maiores visando à sua recuperação e salvaguarda, e para que os que já se deixaram enredar pela depressão consigam reconsiderar o seu terrível propósito. Por fim, o nosso sempre Machado assim ponderou, em crônica de 1894, conclusão essa a que aquiescemos: “Num e noutro caso, como nos demais, surge a questão de saber se o suicídio é um ato de coragem ou de fraqueza. Questão velha. Tem sido muito discutida, como a de saber qual é maior, se César ou Napoleão; mas esta é a mais recente e indígena. Pode dizer que os dous grandes homens equilibram-se, nos votos, mas a questão do suicídio é antes resolvida no sentido da fraqueza que no da coragem.” (A semana I, IN Obras completas de Machado de Assis, São Pulo: Globo, 1997, p.139).

Dias Campos

diascampos1@gmail.com